21 de abr de 2015

Barcelona x PSG: confirmação da vaga ou missão impossível?


Na semana passada, em pleno Parc des Princes, o Barcelona abriu uma vantagem extraordinária sobre o PSG: 3x1. Com dois gols de Luisito Suárez e um  de Neymar, os catalães podem hoje, em casa, perder por 2x0 que ainda classificarão-se para as semifinais.

Para o jogo de hoje, Daniel Alves deve voltar ao time do Barcelona, após cumprir suspensão. Iniesta está liberado para a partida, enquanto Jordi Alba ainda é dúvida. Messi, Suárez e Neymar, o trio que marcou todos os gols nos últimos três jogos, está confirmado para a partida decisiva no Camp Nou.
Se a confirmação da vaga concretizar-se, o atual líder do Espanhol voltará a semifinal após a eliminação para o Atlético de Madrid em 2014.
O Paris Saint-Germain entrará em campo para tentar cumprir a missão impossível: vencer o Barcelona com, pelo menos, 3 gols de diferença, para tentar evitar a terceira eliminação seguida nas quartas de final da Champions League.
Sem sombra de dúvidas, o técnico Laurent Blanc terá muitos imprevistos. O capitão Thiago Silva está lesionado e David Luiz não está na sua melhor forma física. Outro desfalque certo por lesão é Thiago Motta.
Apesar dos apesares, o time francês contará com a volta do artilheiro e craque, Zlatan Ibrahimovic, como esperança para a busca da classificação, deixando o uruguaio Edinson Cavani no banco de reservas.

Zinedine Zidane, ídolo do futebol francês e atual treinador do Real Madrid Castilla, reforçará a torcida do PSG. Segundo "Zizou", dentro de campo, tudo pode acontecer.

Fica aqui a minha torcida para o Paris Saint-German. Que a missão impossível seja concretizada, afinal, estamos à espera de um milagre.











6 de abr de 2015

Até logo, Muricy!

Muricy Ramalho, "arrebentado", deixou o comando do São Paulo em sua terceira passagem como treinador. Depois de 473 partidas, com 255 vitórias, 123 empates e 95 derrotas, o técnico decidiu abandonar a carreira e cuidar da sua saúde. 

Após a demissão em 2009, Muricy voltou em setembro de 2013 para ser o Anjo Salvador da Pátria, livrando o São Paulo de um rebaixamento que seria histórico. 

No ano de 2014, deu a volta por cima, fazendo com que o Tricolor do Morumbi ficasse em segundo lugar no brasileirão daquele ano. Infelizmente, nos "mata a mata", não teve muito sucesso: caiu nas quartas do Paulistão para o Penapolense e na terceira fase da Copa do Brasil pro Bragantino. Pela Copa Sul Americana, outra eliminação: para o Atlético Nacional, na semi final. 
Apesar de todas essas eliminações, é válido ressaltar que Muricy fez um feito histórico pelo São Paulo: conquistou 3 campeonatos brasileiros seguidos, façanha que nenhum clube conseguiu até hoje. 

O presidente Carlos Miguel Aidar conta que a decisão foi tomada em comum acordo: 

"A saída foi decidida de comum acordo, eu continuo tendo o Muricy como meu técnico, mas não posso ser injusto a ponto de colocar tudo acima da própria saúde dele. O mais importante é ele se tratar, cuidar da saúde, descansar. As portas do SPFC sempre estarão abertas para um técnico e uma pessoa como ele. É um ídolo!"
O ex-treinador estava com o cargo em risco no tricolor. Com falta de padrão tático, aposta em jogadores que não têm regularidade e a saúde debilitada foram fatores cruciais no desempenho oscilante do São Paulo.
Segundo o portal UOL Esporte, a mulher de Muricy, Roseli Ramalho, já havia pedido para o marido aposentar-se em 30 de março, pois já estava no limite.
Em tom de despedida, o ex técnico declarou:
"Estou com problemas de saúde, devo fazer uma cirurgia na próxima semana e preciso desse tempo que o São Paulo não tem no momento. Quero agradecer ao presidente, aos jogadores, os funcionários do clube, os meus companheiros de comissão técnica e, principalmente, aos torcedores que entendem esse meu momento. Preciso nesse momento dos devidos cuidados com a minha saúde. Não é um adeus, é um até breve pela relação que tenho com o São Paulo Futebol Clube. Desejo muito sorte a todos"
Valeu, Muricy!

Fontes: Globo Esporte e UOL Esporte.





5 de mar de 2015

Os ídolos estão acabando

Mais um ídolo se foi. Na noite de ontem, após 519 jogos, 47 gols e quase 10 anos de história, Léo Moura se despediu do Flamengo. É mais um jogador que deixa o clube e a torcida que o consideram excepcional dentro e fora das 4 linhas.

São muitas as perdas, e cada vez mais difícil achar prováveis ídolos para os times. Assim como o Flamengo, outras equipes se despediram de jogadores marcantes para o clube. Na história recente, foi o caso de Juninho Pernambucano pelo Vasco, Alex pelo Coritiba, Marcos pelo Palmeiras, Petkovic pelo próprio rubro negro, Conca pelo Fluminense...

Gilvan de Souza / Site oficial do Flamengo
É muito raro ver um jogador criar um vínculo emocional com um clube, algo que antigamente acontecia com mais facilidade. Hoje o que importa é o dinheiro e a fama e não mais o amor pelas cores da camisa.

D’Alessandro agora é o jogador de linha que a mais tempo está defendendo um clube da série A, 7 anos. No geral, fica atrás apenas de Rogério Ceni (22 anos), Fábio (10 anos), Magrão (10 anos) e Marcelo Grohe (9 anos). Todos goleiros, uma posição mais frequente.

A venda precoce de jovens impede que o jogador crie raízes com o time. A rotatividade do mercado e o atraente futebol europeu também são os causadores da escassez de figuras queridas para as equipes.

É triste ver grandes nomes se despedirem de seus times e até mesmo do futebol. Só que mais triste ainda é se deparar com a realidade de que não se fazem mais ídolos como antigamente.

Aproveitem os momentos, porque a fábrica dos memoráveis está fechando as portas.

Juan Oliveira
Twitter: @Juan_Olv

3 de mar de 2015

O novo "Rei do Paca"!

Neste domingo (01) o Santos enfrentou o Linense, no Pacaembu, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. A vitória do Peixe por 4 a 2 o mantém na liderança isolada do Grupo 4. 

Nos dois últimos finais de semana os torcedores paulistanos tiveram o privilégio de ver dois espetáculos do eterno Menino da Vila, Robinho. No primeiro jogo, contra a Portuguesa, o jogador destribui pedaladas no Estádio Municipal, ainda marcou dois gols e deu uma bela assistência para Cicinho marcar o terceiro. No jogo contra o Linense, o craque da camisa 7 também quase ganhou o direito de pedir musica ao anotar mais dois gols para o Peixe. 

Quem vinha sendo destaque nas atuações do Santos no estádio na capital paulista era o zagueiro David Braz. Em muitas oportunidades o atleta chegou a marcar gols importantes, mas a sorte virou e temos um novo "Rei do Paca":  Nego Rob!!! 

(Foto: Levi Bianco/ Brazil Photo Press/ Folhapress)

O Peixe ainda não tem uma previsão para voltar a jogar como mandante na capital, mas  a torcida agora é que o Santos jogue mais vezes no Pacaembu, com belas atuações,com muitos gols de Robinho e muita festa da torcida alvinegra! 

Saudações Alvinegras!

E não é que tá engrenando?

Devo admitir, comecei a temporada com uma dose altíssima de ceticismo. Afinal, ser palmeirense envolve sofrimento e dor e isso geralmente trás ceticismo, haja vista as entregadas de Victor Hugo. Mas, parece que o time agora vem engrenando graças à oxigenada no elenco.

Zé Roberto tem sido excelente, apesar da idade, em todos os jogos que participa. Claro que é inevitável que, em alguns jogos, ele esteja mais apagado do que em outros mas, a sua liderança tem se provado inestimável no elenco e ele tem jogado com excelência.

 

Os argentinos recuperaram a confiança no seu futebol. Cristaldo tem sido oportunista e aproveitado chances de gol, mesmo que numa frequência menor do que a desejada. Allione tem nos dado algo que há tempos não tínhamos, um ponta habilidoso e rápido. Os dois que vieram com a chegada de Gareca (que eu ainda acho que foi injustiçado - seria excelente com o elenco desse ano) foram símbolos da aposta que não deu certo ano passado. Agora, os dois viraram titulares absolutos (nem tanto Cristaldo) e seguem de vento em popa. 



Gabriel tem dado tudo o que o palmeirense estava sedento pra ter, um volante de boa marcação e passe de qualidade. Eu estava com saudade de ver um bom volante passador pra fazer a bola chegar no ataque. Em um ano de aprendizagem com Cleiton Xavier e Arouca, esse menino tem potencial para ser o melhor passador do Brasil. 



Mas, nada disso sem compara com a ascensão de Robinho. Sempre achei que ele tinha sido queimado no Santos. Jogando com esse apelido e com Neymar já cobiçadíssimo na base, o ex-Santos nunca teve uma chance para se estabelecer como o 10 que é no Palmeiras. 

No Coxa, devo admitir que não acompanhava muito o futebol dele mas, ninguém que joga com Alex sai pior do que entrou. Sua primeira coletiva me preocupou um pouco, especialmente a parte em que disse que buscava o passe primeiro. (Para mim, parte de ser um excelente armador, é também finalizar sempre que a oportunidade aparece.)

Mas, Robinho não tem hesitado em deixar o seu. Além de contribuir na conclusão de jogadas, sua cobrança de falta no último jogo foi algo primoroso e algo de que nós nos ressentimos há tempos. Não que Robinho vá ser o cobrador oficial da equipe mas, sempre é bom se ter uma riqueza de talentos em todos os espectros do campo. 



Não acho que vamos ganhar o Paulistão. O time ainda está numa curva de aprendizagem e o desenvolvimento do entrosamento demora algum tempo especialmente se trabalhando com um elenco tão grande quanto o nosso. 

O time tá tomando forma e tá jogando com confiança. O Palmeiras, depois de muito tempo, voltou a jogar como time grande que sempre foi. Apesar de não poder ir no estádio (não moro mais em SP), todo fim de semana é uma oportunidade nova de ver o Neto engolir suas palavras em rede nacional e ver Mauro Beting e PVC orgulhosos de seu time na FOX Sports. 

A coisa tá ficando boa. E não que tá engrenando?